© 2019 Escola da Fazenda - Rua Jaborandi, 324 - Florianópolis - SC - 88065-035

A ESCOLA

Uma escola em movimento

A história da Escola da Fazenda é marcada por aspectos que caracterizam nosso modo de fazer educação escolar. As preocupações com o consumismo e com a degradação ambiental, próprios de nosso tempo histórico, resultaram na inserção curricular da educação ambiental e da educação alimentar. Por outro lado, a participação nos movimentos sociais expressa nossa conexão com a realidade social. Uma escola viva significa uma escola atada ao vivo processar da História.

A educação ambiental como base curricular vem se expressando ao longo do tempo em rica diversidade de ações pedagógicas. A diversidade e a constância das ações ambientais resultaram não só em uma pedagogia concatenada com seu tempo, mas em reconhecimento público e institucional. A conquista em 2005 do selo Sala Verde, uma concessão do Ministério do Meio Ambiente, e os prêmios de Educação Ambiental dados pela Câmara Municipal de Florianópolis em 2009 e 2016 são expressões desse reconhecimento.

A educação alimentar, visando contribuir com o desenvolvimento da consciência de si no mundo, busca não só demonstrar a consistência e os sabores, mas o modo de preparo, a forma da produção (natural e industrial), as propriedades dos alimentos e questões de desperdício e reaproveitamento. No modo de ser da sociedade atual, indícios de como a sociedade pode ser, consciente dos seus atos.

A participação nos movimentos sociais também tem resultados positivos: a ciclofaixa da Avenida Pequeno Príncipe e o abrigo de passageiros na parada de ônibus na Rodovia 405, SC consequências das constantes ações por uma Mobilidade Urbana sustentavelmente equilibrada; a luta pelo tombamento do antigo campo da aviação, que deverá se transformar no Parque Cultural do Campeche e pela preservação do Morro da Lampião são exemplos que expressam a força da ação humana na História.

A Escola é o lugar privilegiado do saber. Onde se ensina o conhecimento como emancipação humana.

Nivaldo Moretto, 2019